Conecte-se conosco

Polícia

Morre porteiro agredido por motoboy, entenda passo a passo do que aconteceu

Publicado

em

Morre porteiro agredido por motoboy, entenda passo a passo do que aconteceu

Morre porteiro agredido por motoboy, entenda passo a passo do que aconteceu. O porteiro Jorge José de Souza, de 58 anos, morreu neste sábado (3), cinco dias depois da briga com um motoboy, no condomínio Torre Ernest Hemingway, no Rio de Janeiro, pode trazer mudanças para o desenvolvimento do caso. De início, o motoboy de 31 anos, Marcus Vinícius Gomes Corrêa, relatou ter saído agredido por Jorge e outros porteiros do condomínio por usar a saída social do local.

Os vídeos gravados pelo entregador viralizaram na internet. A família de Jorge rebateu as acusações de agressão e afirmou que o motoboy atingiu o porteiro sete vezes com uma barra de ferro. Diante das inúmeras dúvidas que rodeiam o caso, ele ganhou repercussão e foi aberta uma investigação para apurar os diferentes relatos da confusão. Enquanto a polícia investiga o caso, Marcus segue em liberdade.

Morre porteiro agredido por motoboy, entenda passo a passo do que aconteceu

O entregador Marcus Corrêa publicou um vídeo nas redes sociais que o mostra no chão, imobilizado por um porteiro do condomínio. No vídeo, o motoboy relata a confusão. “O cara não quer me soltar. Tô aqui imobilizado e o cara não é nem policial. Olha a cara dele, porteiro, nem policial é. Você não pode me imobilizar não, parceiro. Quatro porteiros e um policial morador, vieram me agredir. Os quatro vieram pra cima de mim. Olha como está a situação, o que motoboy passa aqui no Rio de Janeiro”

Aparece outro funcionário nas imagens, que ameaça quebrar o celular do motoboy. “Vou quebrar seu telefone, eu quebro”, diz um dos porteiros no vídeo gravado por Marcus. O motoboy relatou que a confusão começou depois que ele se perdeu no edifício e tentou sair pela portaria social. “O prédio é redondo, e você precisa pegar um elevador para o quinto andar e pegar outro elevador até a casa do morador, eu acabei me perdendo, só estava tentando sair do prédio quando um porteiro veio descontrolado falando comigo, me humilhando dizendo que eu era motoboy e não podia sair pela portaria social.

Ele poderia ter me orientado com educação. Eu respondi, e falei que só pela maneira como ele falou comigo, que eu iria sair por ali mesmo. Ele começou a me empurrar, me cercar, falei para ele não colocar encostar em mim. Até que ele foi na guarita, pegou uma barra de ferro e me acertou. Eu consegui tirar a barra de ferro da mão dele e revidei. Depois, mais porteiros e um morador vieram pra cima de mim…” Disse o entregador. A família de Jorge José rebateu as acusações de Marcus e também afirmou na quarta-feira (31), que o motoboy atingiu o porteiro sete vezes com uma barra de ferro. Devido a um coágulo na cabeça, Jorge precisou passou por uma e estava internado intubado no Hospital Miguel Couto, na zona sul do Rio de Janeiro.

Bruno Castro, advogado do porteiro, enviou um comunicado à imprensa, onde ele informa que o cliente foi agredido pelo motoboy. Segundo ele, a família teve acesso às câmeras que mostram o porteiro sendo agredido pelo motoboy com um guidão de bicicleta. Nas filmagens é possível ver o momento em que o funcionário entra na guarita e sai com um objeto na mão e atinge o motoboy nas pernas. Marcus, toma o objeto do porteiro e passa a agredí-lo diversas vezes, inclusive, na cabeça, até que o porteiro cai no chão e é socorrido por outro funcionário do condomínio, que tenta conversar com o motoboy.

Na noite desde sábado (3), o porteiro Jorge José Ferreira morreu em decorrência de traumatismo craniano. Ele foi encaminhado inicialmente ao Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, e posteriormente, devido à gravidade das lesões, foi transferido ao Hospital Miguel Couto, na Gávea, zona sul, onde passou por cirurgia em razão de um coágulo na cabeça.

De acordo com o hospital, o porteiro foi submetido a uma intervenção para descompressão da calota craniana frontal. Ele também precisou de traqueostomia. O estado de saúde dele era considerado gravíssimo e ele estava intubado. Na noite de sábado (3), Jorge José não resistiu e morreu.


Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ Acessadas da Semana