Conecte-se conosco

Saúde

Mãe morre de covid seis dias após dar a luz ao quinto filho no Paraná

Publicado

em


A manicure Juliana de Oliveira Sant’Ana, de 31 anos, teve que manter a distância da filha recém-nascida para evitar que ela fosse contaminada com a Covid-19, porém, seis dias depois ela faleceu devido as complicações da doença. Juliana estava internada no hospital de Santo Antônio da Platina, a 370 km de Curitiba. Além de Ana Júlia, a manicure tinha outros quatro filhos.

Guilherme Morim é organizador de eventos e tem 28 anos, marido de Juliana, ele disse que a esposa só pôde ver a filha poucos minutos depois do parto, e seguiu acompanhando a evolução da recém-nascida por fotos feitas ao longo da semana pelas enfermeiras da unidade. Juliana e Guilherme estavam juntos há seis anos e este seria o primeiro filho do casal, as outras crianças, de 9, 11, 13 e 14 anos, são de outro relacionamento de Juliana.

“Ela era uma pessoa maravilhosa, muito especial, sempre foi uma mãe excelente. Era cuidadosa, divertida. Não tenho nem o que falar dela, sempre foi companheira”, diz Guilherme. Antes de ser hospitalizada na unidade regional, a manicure procurou atendimento por três dias seguidos no Pronto Socorro da cidade: de 19 a 21 de março. “Eles passavam a medicação pra ela e a liberava. Ela ficava em casa tomando os remédios. Porém chegou uma hora que ela começou sentir as contratações e não aguentou mais, e eu a levei no Hospital Regional.”

Até então, Juliana não sabia que estava contaminada, ela só descobriu quando deu entrada no hospital, em 22 de março. “Eu recebi uma ligação da equipe do hospital, que me informaram que ela havia testado positivo para o coronavírus. Ali eu já fiquei preocupado com o que poderia acontecer com ela e com a menina”, relata o marido. Ana Júlia nasceu prematura, com 2,5 kg. Juliana precisou ser intubada na manhã do último domingo, mas teve uma parada cardíaca horas depois e acabou não resistindo.

O pai agora se desdobra para cuidar da recém-nascida e dos outros filhos de Juliana, de quem pretende manter a guarda. “Eu sou pai de criação deles e até ela perguntava para as crianças se queriam ficar comigo. E todas respondiam que sim”. Guilherme já recebeu doações de alimentos, roupas e produtos de limpeza. E a pequena Ana Júlia está se alimentando com uma mistura feita a partir de leite em pó.


Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ Acessadas da Semana