Conecte-se conosco

Cotidiano

Homem assume a filha da sua melhor amiga, para que a menina não cresça sem ter um pai

Publicado

em

Homem assume a filha da sua melhor amiga, para que a menina não cresça sem ter um pai

A menina foi rejeitada por seu verdadeiro pai, mas o destino lhe presenteou com um pai postiço, que assumiu o papel de pai de uma maneira inacreditável, com direito a muito amor e carinho.

Muitas crianças não têm o privilégio de crescerem com a presença de um pai, normalmente essas crianças são criadas por suas mães e até mesmo pelos avós ou outros membros da família.

Mesmo com o amor e carinho de pessoas próximas, a ausência de um pai pode influenciar muito na vida de uma criança, que na maioria das vezes possuem uma imagem de herói de seus genitores.

Existem aquelas crianças que mesmo sem ter um pai biológico por perto, terminam ganhando o pai de coração, aquele homem que assume como se fosse parte dele.

A pequena Ana Flor, possui só 2 anos e é filha de Brunna. Desde o seu nascimento, o país biológico nunca esteve presente na vida dela, e isso provocou uma dor muito grande na menina.

Mas apesar da situação, a pequena conseguiu encontrar alguém que pudesse preencher essa falta de uma figura paterna, e o paizão dessa história é o melhor amigo da sua mãe.

Tudo começou quando Ana Flor chamou Raphael pela primeira vez de papai, isso em uma das várias visitas em que o rapaz junto com a noiva faziam a casa de Brunna, pois ele dava muita atenção à pequena.

Raphael ficou emocionado e sentiu que a pequena o havia escolhido para ser seu pai adotivo, e passou a ter muita responsabilidade com ela, pois seu sonho era ser pai de uma menina, e percebeu que naquele momento seu sonho estava se realizando. 

O rapaz ficou tão contente que resolveu assumir a paternidade, chamou a noiva Amanda e a amiga Brunna para conversar sobre o assunto, e as duas aceitaram.

Apesar de estar presente no papel de pai, o rapaz também procura estar presente no cotidiano da vida da pequena, mesmo as vezes que surge algum imprevisto.

Durante a semana Raphael conversa com a filha por chamadas de vídeo, isso porque ele trabalha durante o dia, e a noite ele estuda, mas compensa essa sua “ausência” nos fins de semana, que passam juntinhos.


Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ Acessadas da Semana